Português Italian English Spanish

ELEIÇÕES 2020: Esquerdistas campinenses, desuni-vos!

ELEIÇÕES 2020: Esquerdistas campinenses, desuni-vos!

Data de Publicação: 12 de maio de 2020 15:26:00

Por Léo Mendes
do CANAL 2N
15:26

Não há aqui espaço para desqualificar ou subestimar o esforço empenhado pelos coordenadores do chamado Fórum Pró Campina; nem individualmente nem coletivamente.

Entretanto, também não há como negar que o esforço, além de ainda não ter saído do circuito fechado dos mesmos, pouco vem contribuindo para oferecer uma candidatura eleitoralmente viável para Campina Grande.

Pelo contrário!

Na proporção que os membros mais ativos do dito Fórum buscam a construção de um projeto de desenvolvimento socioeconômico e cultural plural, de inclusão e democrático, que faça frente ao grupo gospel-oligárquico que domina a cena política de nossa cidade, uma candidatura unificadora vai se mostrando cada vez mais distante.

Embora isso não esteja assumido, a maioria das lideranças que pensam e conduzem o Fórum já considera que o bloco de centro e de esquerda que o compõe lançará diversas candidaturas; o que, na prática, deverá facilitar o continuísmo articulado pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD).

A “desunidade” do campo progressista em nossa cidade se evidencia em algumas manifestações dos partidos ligados ao Fórum. Veja-se, por exemplo, o caso do PCdoB e seu pré-candidato, o neocomunista Inácio Falcão, que, se de comunista só tem o “neo”, ao menos tem levado seu nome e sua pretensão à frente, enquanto outros partidos estão mais “perdidos que cego em tiroteio”.

Ou não têm nomes viáveis ou não querem tê-los! Quando os têm, as dissenções e rivalidades internas agem para detê-los. Os motivos são os mais variados; as explicações e justificativas, as mais diversas.

A mais comum é a de sempre: que “primeiro, o mais importante é construir um projeto, depois se pensa no nome”. É bonito! Mas, é fantasioso, pois, nossa cultura e práticas políticas valorizam mais o “nome”, o “candidato”, que o projeto. E, por mais que não se goste, não há indicativos de que será diferente nas eleições deste ano.

Mas, há também outras táticas. Algumas não tão fáceis de se explicitar.

Por exemplo, a filiação (em tempos de pandemia) do médico e atual secretário estadual de Saúde Geraldo Medeiros ao Cidadania, com sua eventual candidatura, poderá fazer o governador João Azevedo intervir na disputa em Campina Grande. Alguns olhos brilharam com essa possibilidade; e começaram a trabalhar!

Trabalhar por uma candidatura cada vez menos de centro-esquerda, é claro, e mais ligada ao governo estadual numa crença de que somente com a participação deste será possível fazer frente à força político-eleitoral do governo municipal. E o emprenho mais notável é o que pretende lançar uma chapa unindo Geraldo Medeiros e Ana Cláudia. Pois é, são tempos de pandemia...!

Uniria, a chapa, o governador e o senador Veneziano Vital. Se fecharia à esquerda; mas, se abriria ao centro com um “viészinho” de centro-direita. Mas...?!

Mas, a esquerda campinense não é boa de voto mesmo. Então, a “desunião” ajudaria. Ao menos na opinião destes que vêm se empenhando para tamanha engenharia política.

(O autor é historiador e professor de História)

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário