Português Italian English Spanish

Eleições 2020: Parauapebas em tempos de (in)definição

Eleições 2020: Parauapebas em tempos de (in)definição

Data de Publicação: 10 de novembro de 2020 20:14:00
Por Léo Mendes
Do CANAL 2N

Muito já se falou e já escreveu sobre a influência das candidaturas majoritárias para “puxar votos” para os/as candidatos/as a vereadores. Nós mesmos, diversas vezes, tratamos deste tema.

Agora, entretanto, na reta final, a cinco dias do pleito municipal de 2020, as diversas pesquisas eleitorais divulgadas em Parauapebas nos dão pistas de que a “parada” pode estar praticamente definida tanto na majoritária como na proporcional. Ou quase.

No que se refere à disputa pela prefeitura, as pesquisas (aqui) dão indicativos de que o prefeito e candidato à reeleição Darci Lermen (MDB) deverá vencer com larga vantagem em relação ao segundo colocado, ao que parece será Júlio César (PRTB). Aliás, situação um tanto surpreendente, ao empurrar o ex-prefeito Valmir Mariano (PSD) para terceiro e Marcelo Catalão (Avante) para o quarto lugar.

Talvez por isso nesses últimos dias, passados e futuros, uma espécie de “esgoto news” das redes sociais deram início a grosseiros ataques contra a candidatura do prefeito Darci Lermen (MDB) saindo do campo da política e tentando atingir-lhe sua imagem como pessoa, como cidadão.

Os meios são baixos. Se utilizam desde as brincadeiras de adolescente frustrado do titular da SEMED e sua “conferência dos bruxos” (sic) até uma montagem sabe-se lá de quê de um suposto não sei o quê que cumprimenta o prefeito/candidato por uma vitória que ainda não veio ou por outra coisa qualquer.

Já na disputa para a Câmara Municipal também as pesquisas (aqui) apontam para uma, digamos, quase definição (talvez, fosse melhor dizer: “indefinição”). Lembremos que a legislação vigente extinguiu a possibilidade de coligação partidárias nas eleições proporcionais e, agora, cada partido terá que “se virar” para conseguir atingir o quociente eleitoral.

Neste quesito é indiscutível que o PROS saiu na frente e, segundo as pesquisas, tem chances concretas de conquistar pelos menos três cadeiras na Casa Legislativa. Há quem diga que, por eliminação, talvez chegue a quatro. O PMDB e o PDT estão na cola com a possibilidade de conseguirem duas vagas cada um. As rodas políticas também veem as mesmas chances no PP.

Daí pra baixo, “o bicho pega”!

Os partidos que encabeçam coligações majoritárias cujos intenções de votos estão minguando se veem cada vez mais distantes das vagas na Câmara Municipal: são exemplos o PSD e o Avante, com o declínio eleitoral de Valmir Mariano e Marcelo Catalão, respectivamente, o que aumentam as chances do PRTB do Júlio César, em ascensão, conseguir uma vaga. De todo modo, aos dias de hoje, dificilmente estes partidos conseguiriam mais de uma vaga.

As outras vagas, se de fato restarem, tomando-se as mais recentes pesquisas como referência, deverão ser disputadas (ou ocupadas) pelo PSB (pelo menos uma), pelos Republicanos (se a Igreja Universal demonstrar força política no município) e pelo PT, se as principais candidaturas do partido demonstrarem alguma consistência eleitoral.

Mas, aqui são apenas conjecturas, pois, somente as urnas definirão de fato a composição da Câmara de Vereadores de Parauapebas; e, penso, nos darão algum indicativo do futuro político eleitoral da cidade.

(O autor é historiador e professor de História)

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário