Português Italian English Spanish

Crise sem fim: cortes no Orçamento do Ministério e mais demissão no INEP

Crise sem fim: cortes no Orçamento do Ministério e mais demissão no INEP

Data de Publicação: 25 de janeiro de 2022 17:52:00

Por Redação
CANAL 2N

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou, com vetos, o Orçamento Geral da União 2022: o valor total da despesa – previsto na Lei 14.303, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (24) – é de R$ 4,73 trilhões. Deste total, R$ 1,88 trilhão tem como destino o refinanciamento da dívida pública federal.

Os vetos presidenciais se concentraram nos chamados "ministérios sociais", isto é, naqueles ministérios cujas ações se voltam especialmente para programas de desenvolvimento e promoção social, como os do Trabalho e Previdência e da Educação, que sofreram os maiores cortes de verbas: com cortes de R$ 1 bilhão e R$ 802,6 milhões, respectivamente.

Demissão no INEP

Além dos cortes de verbas, o Ministério da Educação, um dos que apresentam os piores desempenho no atual governo, também vem sofrendo os impactos da crise no INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão responsávei pela organização e aplicação do ENEM, que se arrasta desde de novembro de 2021, quando 37 de seus diretores se demitiram.

Na quinta-feira (20), Alexandre Avelino Pereira, diretor de Gestão e Planejamento do Inep, pediu exoneração. 

Ontem (24), foi a vez Anderson Soares Furtado Oliveira se exonerar da Direção de Avaliação de Educação Básica (DAEB), principal responsável pelo gerenciamento do ENEM, cargo que ocupava desde maio de 2021.

(Com informações do DCM e do Brasil de Fato)

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário