Português Italian English Spanish

Sextou: dicas culturais 2N

Sextou: dicas culturais 2N

Data de Publicação: 25 de fevereiro de 2022 18:57:00

Por Redação
CANAL 2N

Chegou o carnaval! Como sempre, há os/as que festejam, os/as que viajam, os/as que vão pra tudo que é tipo de retiro; mas, há os/as que ficam! Pra todas/os o Sextou: dicas culturais 2N, nosso editorial semanal através do qual sugerimos produtos e produções artísticas (filmes, séries, documentários, CD´s, curtas, eventos, programações, etc.) e literárias (livros, HQ's, gibis, etc.), com o objetivo de estimular o consumo de obras artísticas de qualidade, para noss@s leitores/as, foi pensado.

Neste fim de semana de carnaval, carnavalizamos nossas indicações, posto que tomamos os "festejos de Momo" como referência para nossas sugestões, as quais apresentamos a seguir.

Documetário: Damas do Samba (Susana Lira, Brasil, 2013)

"Susana Lira, experiente nesta linguagem tanto no cinema quanto na televisão, resume no título deste trabalho tudo a que se propõe durante o seu desenvolvimento: destacar o envolvimento das mulheres em uma das maiores expressões culturais e artísticas legitimamente brasileiras. Parte-se do final do século XIX, com a chegadas das primeiras baianas ao Rio de Janeiro, e mergulha-se quase que unicamente na maior manifestação do samba no país: o Carnaval. E fala-se do carioca, especificamente. Talvez, com um título ainda mais específico – Mulheres do Carnaval, por exemplo – o retrato fosse melhor acurado. Mas Damas do Samba (trailer) se preocupa apenas em exemplificar o quanto cresceu a presença feminina na realização deste grande espetáculo popular. Se décadas atrás elas eram força propulsora, porém somente quando acompanhadas de um nome masculino relevante – esposas, companheiras – hoje elas estão até em cargos de presidência de Escolas de Samba. (...). Com mais de trinta entrevistas e depoimentos, a diretora começa por nomes consagrados, como Leci Brandão e Alcione, para aos poucos ir avançando por outras áreas de atuação. Cantoras e sambistas sempre estiveram no gosto popular, e não muito se pode falar a respeito das passistas, das porta-bandeiras ou das rainhas da bateria. Não se esquece de prestar as devidas homenagens à ícones como Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus ou Jovelina Pérola Negra".

(Trechos da crítica de Robledo Milani publicada no Papo de Cinema - íntegra aqui.)

Filme: Trinta (Paulo Machiline, Brasil, 2014)

"João Clemente Jorge Trinta, mais conhecido como Joãosinho Trinta, foi um dos maiores carnavalescos que o Brasil já teve. Com seus desfiles irreverentes e inovadores, Trinta fez história nas passarelas do Rio de Janeiro e de São Paulo. Em Trinta (trailer) do diretor Paulo Machline, nós conhecemos o início da trajetória do ícone, como um aspirante a dançarino, até o seu primeiro grande desfile na Sapucaí, pela escola da comunidade de Salgueiro. Com Matheus Nachtergaele no papel principal, em uma das melhores atuações da carreira, a trama começa na década de 60, com João chegando de São Luis, no Maranhão, para morar no Rio de Janeiro. Com o sonho de se tornar um bailarino, João rapidamente abandona o emprego conseguido por seu cunhado ao conquistar uma vaga no balé do Teatro Municipal. Lá, ele conhece Zeni (Paolla Oliveira) e Fernando Pamplona (Paulo Tiefenthaler), que o leva para trabalhar nos bastidores do teatro como cenógrafo. Quando Pamplona percebe o talento de João para arte e criação, leva-o para conhecer a escola de samba de Salgueiro, de onde era carnavalesco. E é aí que sua trajetória de sucesso começa. O filme relata as várias dificuldades passadas por Joãosinho até conseguir o título do carnaval do Rio, em seu primeiro ano à frente do desfile. Por ser bailarino, o artista sofreu forte preconceito com o seu rótulo de homossexual, escancarado pelo machismo representado na presença de Tião (Milhem Cortaz, ótimo), morador da comunidade do Salgueiro e braço direito de Germano (Ernani Moraes), presidente da escola de samba. O atrito entre os dois, mesclado entre tons de ironia e ódio, é um dos pontos fortes da trama. (...)."

(Trechos da crítica de André Zuliani publicada no Omelete - íntegra aqui.)

Livro: Desde que o samba é samba (Paulo Lins, Planeta do Brasil, São Paulo, 2012)

"Na produção um tanto ensimesmada da literatura brasileira contemporânea, é alentador quando surgem livros de ficção que não trazem escritores como personagens, tampouco se limitam a instituir um “diálogo” com alguma obra canônica. Pausa para respirar em meio à profusão de intertextualidades, jogos internos, citações. Mais raro ainda é quando o romance, ou a seleta de contos, aborda aqueles temas que, apesar de profundamente entranhados no imaginário brasileiro, costumam ser ignorados pela ficção. “Desde que o samba é samba”, o novo trabalho de Paulo Lins, configura, portanto, uma exceção no atual quadro. (...). Desde que o samba é samba (vídeocast) muda de época e de cenário. O enredo desenrola-se no bairro carioca do Estácio entre 1928 e 1931, momento efervescente que conjugou a formatação do samba urbano, a criação da primeira escola de samba e o aparecimento dos terreiros de umbanda. Para isso, Lins retroage até a chamada Pequena África. Nessa área da Cidade Nova, onde muitos escravos foram morar após a Abolição, músicos como Donga e João da Baiana fizeram florescer as primeiras sementes de um samba ainda com feições de maxixe. O autor demonstra como a turma do Estácio transformou o modo de tocar, carregando no batuque e na cadência, e possibilitou os desfiles. Nascia, então, o “samba de sambar” da feliz expressão de Humberto M. Franceschi. Lins expõe também o tratamento desconfiado, quando não francamente repressor, que o Estado dispensava às manifestações oriundas da África, fosse música ou religião. Narra, em detalhes, a fundação da primeira tenda de umbanda do Brasil, em São Gonçalo. E o encontro de escritores modernistas como Mário de Andrade e Manuel Bandeira com os sambistas cariocas".

(Trechos da crítica de Marcelo Coutinho - íntegra aqui.)

(Editoração de Leonidas Mendes Filho - Canal 2N)

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário