Português Italian English Spanish

O esgoto das Fake News: o caso Lindemberg Farias

O esgoto das Fake News: o caso Lindemberg Farias

Data de Publicação: 16 de outubro de 2019
Por Canal 2N
Da Redação
11:28

Ninguém pode negar que a chegada das redes sociais trouxe grandes avanços para a comunicação. Amigos e familiares que vivem separados por grandes distâncias, ou até mesmo em países diferentes, passaram a ter ferramentas que possibilitam o diálogo (audio e vídeo) em tempo real. A palavra saudade passou a ser um termo quase em desuso.

Mas como a diferença entre remédio e veneno está na dose, o avanço das redes sociais fez emergir das sombras um tipo especial de brasileiro que pensávamos não existir, pelo menos não em tão abundante quantidade.

O indivíduo em questão é aquele que vive em um mundo onde a terra é plana, onde a Rede Globo e jornal Folha de São Paulo são de esquerda e quem anda armado e mata pessoas são cidadãos de bem e seguidores de Jesus.

Esse tipo de indivíduo, coincidentemente (ou não), é o mesmo bolsonarista militante que temos o desprazer de testemunhar todos os dias em grupos de WhatsApp espalhados Brasil à fora destilando seu ódio contra tudo e todos.

Nos últimos dias circulou um vídeo em que se dizia que o ex senador do PT pelo Rio de Janeiro, Lindemberg Farias, teria sido flagrado comprando drogas em uma favela. Nem mesmo vimos o tal vídeo, pois conhecemos a história de Lindemberg desde quando foi líder do movimento dos caras pintadas no início dos anos 1990 que culminou no impeachment de Fernando Collor.

Pai de família dedicado, Lindemberg Farias hoje divide o tempo entre seu trabalho e o cuidado a seus três filhos, com especial atenção a Beatriz de 9 anos que tem Síndrome de Dawn. Ele a leva à escola, ao médico e faz questão de dividir com a esposa, Maria Antonia Goulart, as tarefas domésticas.

Ninguém precisaria ver o vídeo para constatar que se tratava de uma notícia fake com claro  objetivo difamatório, apenas em ler as frases que o acompanhava no link de compartilhamento era possível deduzir três coisas: que era falso, qual o objetivo e a sua provável origem.

Ontem mesmo vários veículos de comunicação e agências de checagem anunciaram que se tratava de uma fake news, como você pode ler aqui.

Mas será que os cretinos que compartilharam essa imundície irão se retratar? Obviamente que não, senão não seriam o que são: lixos humanos.

A esperança que mantém Lindemberg Farias de pé e de cabeça erguida é a mesma que nos faz seguir em frente: a certeza de que esses lixos humanos bolsonaristas, mais cedo ou mais tarde, voltarão para o esgoto de onde saíram.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário