Português Italian English Spanish

Lula "namora" Flavio Dino para 2022

Lula "namora" Flavio Dino para 2022

Data de Publicação: 21 de outubro de 2019
Por Sinvaldo Braga
Canal 2N
08:09

Nesse último fim de semana a revista Veja trouxe como matéria de capa uma informação relevante para os presidenciáveis de 2022.

Pesquisa encomendada pela revista simulando a eleição de 2022 mostra que existe apenas um nome do campo progressista que seria capaz de derrotar Bolsonaro: o nome é Lula.

Ciro Gomes, que ataca impiedosamente o PT e o Lula em todas as oportunidades, sequer chegaria ao segundo turno. Com 11% de intenções de votos, teria menos votos que teve na eleição de 2018, ou seja, está encolhendo.

Duas coisas chamam a atenção na pesquisa: primeiro, apesar de estar preso há um ano e meio, Lula mantém seu capital político praticamente intocável e é quase certo que sua soltura irá transformá-lo no homem a ser batido.

Segundo, como a pesquisa foi feita via telefone, é provável que o público pesquisado tenha sido formado em sua maioria pelas classes média e alta, o que nos faz concluir que Lula cresceu nos últimos meses até nas camadas sociais em que o antipetismo é historicamente mais forte.

Mas a notícia mais relevante sobre o cenário político para 2022 passou quase despercebida por todos: “sem alarde, Flávio Dino, o governador do Maranhão, e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, trancaram-se na acanhada sala da liderança do PCdoB na Câmara, na última terça-feira (15), para discutir os planos das duas siglas para 2022. Lula quer saber se Dino é mesmo candidato” diz a coluna Radar da Veja.

Penso que a hipótese de um candidato do campo progressista que não seja Lula, mas apoiado por ele, como na Argentina de Cristina Kirchner e Alberto Fernández, existe e pode ser a saída para unir novamente o Brasil em torno de um projeto de nação, cenário que agradaria ao ex presidente.

Flavio Dino parece ser o homem perfeito para esse projeto. Como político de ficha limpa e ex juiz federal, Dino põe no chão o discurso moralista e ético da extrema direita. Além disso, tem o jogo de cintura para política que o Lula mais aprecia, pois administra com o perfil conciliador e teria condições de unir centro, esquerda e até uma parte da direita. Vale lembrar que, mesmo sendo eleito pelo PC do B, até o DEM faz parte de sua base governista no Maranhão.

Enfim, as notícias dessa semana que passou nos deram algumas certezas: certeza de que Lula continua como personagem principal da política brasileira, de que Ciro Gomes está completamente errado em sua estratégia de ataque ao Lula, que Flavio Dino poderá ser a grande surpresa em 2022 e que Bolsonaro, com ou sem PSL, ainda não pode ser considerado carta fora do baralho.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário