Português Italian English Spanish

Desembargadora autorizou porte de arma para os integrantes da guarda municipal de Parauapebas e um deles mata um garoto de 14 anos

Desembargadora autorizou porte de arma para os integrantes da guarda municipal de Parauapebas e um deles mata um garoto de 14 anos

Data de Publicação: 25 de novembro de 2019

Por Lindolfo Mendes
Canal 2N

Cultura miliciana: Desembargadora autoriza, vereadores apoiam, prefeito se omite e guarda municipal mata - eis o trajeto da bala que tirou a vida do garoto WALISON 

 

 

Mais um crime envolvendo integrante da guarda municipal de Parauapebas

O integrante da guarda municipal de Parauapebas, Genialdo Araújo Teixeira, com sua arma de fogo, assassinou Walison Leite da Silva, de 14 anos.

Era um dia de festa para a imensa nação rubro-negra, depois de 38 anos o Flamengo conquistava novamente a LIBERTADORES DA AMÉRICA, o jovem WALISON LEITE DA SILVA saiu de casa com seus familiares para comemorar e alegrar às nossas ruas, como fizeram muitos torcedores em todas as cidades brasileiras, mas tinha uma pedra no meio do caminho, pior que isso, tinha uma arma nas mãos de um 'guarda municipal' de Parauapebas, o guarda não estava sozinho, a sua conduta, qual seja, andar armado, foi aprovada por 13 vereadores de Parauapebas na sessão plenária do dia 1° de outubro de 2019 (leia AQUI).

Não pense que foi o primeiro crime ou será o último envolvendo um integrante da guarda municipal de Parauapebas, até pistolagem (aqui - G1) já está no currículo da instituição que parece já nasceu degenerada, a sociedade deveria pensar em sua extinção e não em lhe equipar com arma de fogo, comprada pelos cofres públicos, não queira ser a próxima vítima disso - Walison Leite da Silva não foi o primeiro e nem será o último.

A desembargadora autorizou o porte de arma, o guarda matou

A tragédia envolvendo o garoto WALISON terminou no Hospital Geral de Parauapebas, na manhã do último domingo (24/11), mas começou no dia 31 de outubro de 2019, com a decisão da Desembargadora MARIA DE NAZARÉ SILVA GOUVEIA DOS SANTOS, do Tribunal de Justiça do Pará, nos autos do Processo nº 0017978-44.2016.8.14.0040, que tem o guarda municipal Genialdo Araújo Teixeira entre os autores do "habeas corpus".

O juiz de Parauapebas disse não ao porte de arma para os "genialdos" da guarda municipal de Parauapebas, a decisão foi cassada, a desembargadora disse sim, amanhã ela pode fazer o serviço completo e conceder um outro 'habeas corpus' - os genialdos da guarda municipal de Parauapebas antecipadamente agradecem!

Isso mesmo, a desembargadora, com a sua decisão conseguiu transformar um Habeas Corpus, 'remédio' constitucional para garantir a liberdade, ou seja, o direito de ir e vir, em veneno contra a vida, numa verdadeira bruxaria jurisprudencial, associando sua frágil e esdrúxula cultura jurídica ao do polêmico ministro do ALEXANDRE DE MORAES, aquele cortador de pé de maconha que Temer levou para o STF.

Ele, o ministro cortador de pé de maconha paraguaio (aqui)

O tresloucado raciocínio do ministro do STF, no qual se embasa a desembargadora do TJPA para armar o guarda Genialdo, o quarda da esquina, é indigno de qualquer corte jurídica, logo irá para o lixo, veja um trecho:

 

"(...) o tratamento exigível, adequado e não excessivo corresponde a conceder idêntica possibilidade de porte de arma a todos os integrantes das Guardas Civis, em face da efetiva participação na segurança pública e na existência de similitude nos índices de mortes violentas nos diversos municípios, independentemente de sua população" (ADI 5948 - aqui no STF) 

A desonestidade intelectual do ministro é própria de um lavajateiro togado de Curitiba, o dados comprovam que o Estatuto do Desarmamento ao regulamentar o porte e posse de arma de fogo diminuiu o crescimento da taxa de homicídio no Brasil (aqui)A decisão do ministro Alexandre Moraes, um político de toga, é puro populismo penal, quem paga com a vida não é ele e nem os seus filhos, são os pobres, os negros, as mulheres das periferias do Brasil - é WALISON.

Armar uma guarda municipal e os seus 'genialdos'  em nada contribuirá para a segurança pública do país,  a família do garoto Walison, em Parauapebas, sabe bem disso, não se trata de uma fatalidade, é um crime doloso muito comum onde as milícias dominam o estado e a sociedade, caso do Rio de Janeiro.

Outro argumento do ministro é que ao restringir acesso às armas para as guardas de municípios por faixa de população o Estatuto do Desarmamento estaria 'discriminando' e ferindo a igualdade formal entre os entes da federação, uma falácia, o fato é que a imensa maioria dos municípios nem instituir uma guarda municipal quiseram, tal sua questionável necessidade, não havendo qualquer relação com o pacto federativo, com a igualdade formal, com hierarquização dos municípios, pois  ter uma guarda é uma faculdade que a Constituição estabelece em favor deste ente, conforme a Lei, o município a institui com a finalidade de proteger seus bens e patrimônio, se entender necessária.

O próprio voto do ministro mostra que apenas 1.081 dos 5.570 municípios  brasileiros tem guardas insituídas, 19,4% - evidenciando que esse tipo órgão não tem utilidade e nem é prioridade para a imensa mairoia das cidades, elas já tem tantos problemas que os 'guardas genialdos' são de fato dispensáveis.

A verdade é se trata de um órgão que a maior parte dos municípios nem querem ter e muito menos ainda - armado.

Indicação miliciana

Em ato de extrema irresponsabilidade, no último dia 1° de outubro, a Câmara de Parauapebas aprovou por 13 votos, ou seja, todos os vereadores presente à sessão plenária foram a favor da Indicação n° 363 de 2019 (leia AQUI), endereçada ao prefeito Darci Lermen, sugerindo que ele adquira armamentos para que a Guarda Municipal da cidade mate crianças, obviamente, afinal para que serve arma de fogo nas mãos de quem não tem a mínima condição de usá-la.

Para ter ideia da falta de noção e demagogia dos vereadores do município de Parauapebas, a Indicação n° 363/2019 foi protocolada na Câmara às 12:37 da quinta-feira, dia 26/09/2019, na terça-feira seguinte já estava aprovada à unanimidade, mostrando o desrespeito e a falta de seriedade com que esses vereadores tratam o mandato que receberam da população.

Na verdade, os 13 vereadores são intelectualmente responsáveis por esses assassinatos, praticados pelos  'genialdos' da guarda municipal.

Prefeito

O prefeito Darci Lermen parece querer acender uma vela para o diabo e outra para Deus, a sua administração também tem certo grau de responsabilidade, na medida que se omite do debate e não deixa clara a posição da sua gestão frente ao desarmamento dos integrantes e até a extinção desta inútil, despreparada e violenta guarda municipal de Parauapebas.

Como sempre, a prefeitura de Parauapebas emite uma nota pública onde nada esclarece. 

Que o prefeito de Parauapebas ao menos diga à população o que pretende fazer com a indicação miliciana gospel da Câmara de Vereadores e seus 'guardas genialdos'.

  2 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Que lixo de matéria, totalmente tendenciosa e sem nexo algum, pois em nenhum momento narrou as circunstâncias do ocorrido, isso sem contar os grotescos erros ortográficos e de pontuação que até meu sobrinho que começou a escrever agora não os cometeria.

Não se julga um exército por um soldado!O caso é isolado, não representa necessariamente o comportamento ou atitude de toda corporação.Caso tivesse de julgar dessa forma, não teríamos policiais armados em nosso país. Pra se ter uma ideia, vários policiais da PM em todos os estados brasileiros já cometeram algo semelhante ou atém mais grave. Não se pode esperar perfeição de nenhum ser humano sobre a superfície do planeta terra, por isso existem leis e corregedorias, para disciplinar, punir e até demitir agentes que cometem excessos e atitudes arbitrárias.As Guardas Municipais brasileiras vêm apresentando um trabalho de excelência e, dia pós dia, reduzindo o índice de criminalidade nos municípios onde atuam. Basta uma simples consulta na Internet p/ tomar conhecimento dessa realidade...