Português Italian English Spanish

Darci Lermen: o mitomaníaco

Darci Lermen: o mitomaníaco

Data de Publicação: 9 de dezembro de 2019 08:48:00

Por Sinvaldo Braga
Canal 2N
08:48

Recentemente Darci Lermen liderou uma caravana de pequenos agricultores ao sul do país. O objetivo era conhecer projetos daquela região que vêm dando bons resultados na forma de pequenas cooperativas e associações que envolvem até mesmo assentamentos do Movimento de Trabalhadores Sem Terra (MST).

A caravana, além do prefeito e pequenos agricultores, foi formada por representantes da Companhia Vale, Câmara Municipal, profissionais de zootecnia e imprensa local. Fotos e vídeos circularam pelas redes sociais com belos sorrisos estampados nos rostos insinuando sucesso na empreitada.

O prefeito, como de praxe, prometeu que iria trabalhar para fortalecer a agricultura como uma das formas de alternativa econômica à única fonte de recurso de Parauapebas atualmente, o minério de ferro.

Aparentemente uma excelente inciativa, mas a realidade faz cair por terra toda e qualquer propaganda, diga-se de passagem porcamente elaborada. Um estagiário de jornalismo com um celular na mão faria melhor. Mas deixemos o desempenho da ASCOM para outro momento e vamos direto aos fatos: os investimentos realizados na agricultura pelo Governo Darci.

Desde de 2017, primeiro ano de governo, Darci Lermem vem gradualmente e silenciosamente desidratando a agricultura local. Quem diz isso não sou eu, são os números e números não mentem. Vejam no gráfico abaixo que o maior orçamento foi justamente o do ano de 2017, de lá para cá os valores destinados à agricultura têm sofrido cortes brutais:

Ironicamente, o maior orçamento, o de 2017 (mais de 45 milhões), como vocês podem facilmente constatar no gráfico acima, não foi formulado pelo Governo Darci. Lembrem-se que o orçamento vigente em um ano é planejado, votado e aprovado em ano anterior, ou seja, o maior orçamento destinado à agricultura no atual Governo Darci foi aprovado pelo Governo Valmir da Integral ainda em 2016.

Lembremos também que os valores constantes no gráfico acima são apenas previsões orçamentárias, se considerarmos apenas os valores que foram efetivamente executados a coisa fica realmente trágica. Vejam os números no gráfico abaixo:

No próximo gráfico, vocês podem constatar a absurda discrepância entre a previsão orçamentária inicial e aquilo que efetivamente foi (e está sendo) gasto com projetos para o desenvolvimento da agricultura local. Os valores previstos são representados pelas barras azuis, enquanto os valores aplicados são representados pelas barras amarelas:

Observem que dos mais de 45 milhões previstos inicialmente para o ano de 2017, o Governo Darci não conseguiu executar nem mesmo a metade, R$ 15,34 milhões para ser mais exato. Até poderíamos argumentar que o valor de arrecadação prevista inicialmente não se realizou naquele ano, o que poderia justificar o baixo valor executado. Mas a verdade é que 2017, se não foi um ano glorioso como tem sido 2019, também não pode ser taxado como um ano ruim.

Com previsão inicial de arrecadação de 1,072 bilhão, Darci terminou aquele ano com 1,033 bilhão efetivamente arrecadado, ou seja, um déficit na arrecadação de apenas 3,6%. Apesar de ínfimo déficit na arrecadação, Darci deixou de executar 66% da previsão orçamentária inicial para a agricultura, ou seja, apenas 34% foi executado.

Se a falta de recurso escandalosamente não explica, então o que justificaria tamanho descaso na assistência ao pequeno agricultor de Parauapebas? Se tinha dinheiro (e ainda tem), por que não foi empregado em projetos para potencializar a produção e escoamentos dos produtos dos moradores da Zona Rural? A resposta só pode ser uma de duas únicas alternativas: total incompetência do Governo Darci ou completo descaso com a agricultura.

Se a resposta for incompetência, não será novidade para esse governo. O problema é se a resposta for descaso, o que me parece ser mais coerente com os dados dos gráficos acima.

Ora, se o Darci não faz a menor questão com projetos que possam verdadeiramente impactar a vida dos moradores da Zona Rural e Parauapebas, e são os números que sugerem essa conclusão (ver gráficos), então por que diabos juntar um monte de gente e sair em caravana pelo sul do país gastando dinheiro público?

O ano de 2019 foi abençoado no que diz respeito a arrecadação, mais de 1,6 bilhão de reais devem entrar nos cofres públicos de Parauapebas. Mesmo com dinheiro saindo pelo ladrão (aqui me refiro ao tubo por onde escoa o excedente de líquidos), míseros 9,14 milhões (40,26% do total previsto inicialmente, conforme gráficos acima) foram aplicados na agricultura até o momento e tudo indica que não chegaremos nem nos 14,26 milhões aplicados em 2018, que por sua vez foi menor que 2017.

Por tudo isso, imagino que Darci Lermen só pode imaginar que os cidadãos de Parauapebas são completos idiotas ou ele simplesmente é um mitomaníaco, pois é de uma obviedade ululante que dessa tal caravana os cidadãos de Parauapebas só terão acesso a duas coisas: fotos e vídeos de péssima qualidade. Nada mais.

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário